Arquivo da categoria: internetpinkblog

Orelhões darão acesso à internet – MSN – internet pink blog

BRASÍLIA – Condenados à obsolescência após a popularização dos smartphones e a queda no preço dos serviços…

BRASÍLIA – Condenados à obsolescência após a popularização dos smartphones e a queda no preço dos serviços de telefonia móvel, os orelhões procuram um novo papel a desempenhar. Proposta em análise na Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) pretende transformá-los em transmissores de Wi-Fi para desafogar a rede 3G ou em pontos de acesso à internet com visor, para consultar dados como mapas, endereços e telefones.

Já existem orelhões com sinal de Wi-Fi em testes no Rio de Janeiro. A vantagem, destaca a conselheira Emília Ribeiro, da Anatel, é que a faixa de uso do serviço não está congestionada – ao contrário do 3G.

Caberia às concessionárias estabelecer uma forma de cobrança pelo uso desse serviço de telecomunicações. Também está em discussão elevar a quantidade de meios para pagamento da ligação, com o uso de cartão de crédito e moedas.

Outra proposta prevê a instalação de telas e visores nos orelhões, para que usuários possam, por exemplo, acessar catálogos de telefones e endereços ou procurar a localização de um restaurante.

“Seria uma forma de aumentar a inclusão digital no País e facilitar a vida de turistas brasileiros e estrangeiros”, afirma Emilia Ribeiro. O desafio, ela reconhece, é o combate ao vandalismo, que danifica boa parte dos orelhões em todo o País.

“Os orelhões estão perdendo, rapidamente, a utilidade do passado. Mas eles estão lá, nas ruas, e devem servir para novas prioridades. Trata-se de um patrimônio público que não precisa ser construído, apenas modificado”, disse o ministro das Comunicações, Paulo Bernardo.

Foi por essa razão que a Anatel decidiu ouvir a população e elaborar um estudo para tentar revitalizar o telefone público. A proposta recebeu mais de 200 contribuições, muito mais do que o órgão regulador costuma obter em audiências públicas sobre outros temas, sinal de que o assunto desperta a atenção dos usuários.

A intenção é aumentar o uso do orelhão das grandes cidades, onde existem 225 mil aparelhos, e tornar o negócio rentável às concessionárias, afirma a conselheira do órgão regulador e relatora da proposta, Emilia Ribeiro.

Interior

Os orelhões, porém, só lutam contra o desprestígio nos grandes centros. No interior, há locais que contam apenas com eles para que a população possa se comunicar. Nessas áreas se concentram 760 mil terminais de telefone público.

“Existem muitas áreas nas Regiões Norte e Nordeste que não possuem nenhum tipo de acesso à telefonia celular”, afirmou a conselheira. Nas contas da Anatel, são 22.157 localidades em todo o País onde há aglomerados de habitantes, com conjuntos de casas e estabelecimentos comerciais permanentes.

“Nesses locais, as pessoas cuidam muito dos orelhões e, em alguns casos, até constroem cabines em volta deles para preservá-los, pois é a única forma de comunicação”, afirmou.

A conselheira lembra ainda que em 25 mil localidades com menos de 100 habitantes – onde nem sequer há orelhões, pois as concessionárias não são obrigadas a instalá-los – os recursos arrecadados com o Fundo de Universalização dos Serviços de Telecomunicações (Fust) deveriam ser direcionados para este fim.

A proposta da Anatel e as contribuições dos usuários serão analisadas pela área técnica do órgão regulador e enviadas à Advocacia-Geral da União (AGU), que emitirá um parecer. As inovações serão votadas e aprovadas ainda neste ano pela Anatel.

via internet – Google Notícias http://news.google.com/news/url?sa=t&fd=R&usg=AFQjCNFTGBuVWSgIYJL_mHD5FSVS-aIElw&url=http://estadao.br.msn.com/economia/orelh%25C3%25B5es-dar%25C3%25A3o-acesso-%25C3%25A0-internet

Deixe um comentário

Arquivado em internetpinkblog

Pesquisadores descobrem peixe raro que possui pênis com ganchos – Jornal do Brasil – internet pink blog

Um peixe macho do México ficou conhecido pela sua genitália incomum. Equipado com quatro ganchos, o pênis do macho pode permitir-lhe agarrar a fêmea mais resistente durante o acasalamento, dizem os pesquisadores. O Peixe Mosquito de Llanos, ou Gambusia quadruncus, foi descrito este mês no Journal of Fish Biology por uma equipe liderada pelo pesquisador Brian Langerhans da Universidade Estadual da Carolina do Norte. Langerhans explica que os órgãos genitais do macho em forma de gancho podem ser um marcador de resposta para as defesas das próprias fêmeas contra investidas indesejáveis. As informações são do Huffington Post.

“Normalmente, a reprodução é mais penosa no sexo feminino, assim fêmeas procuram formas de reduzir o acasalamento com machos de ‘menor qualidade’ “, disse Langerhans, em um comunicado.

“As fêmeas desta espécie evoluíram para ter uma grande bola de tecido que bloqueia a maior parte do poro genital. Isto significa que a mulher teria que deliberadamente permitir que o macho se acasalasse com ela, a menos que o macho desenvolvesse uma arma contra essa defesa”, explicou o pesquisador.

A genitália com os quatro ganchos poderia ajudar os machos a superar a resistência e acoplar no poro genital da fêmea, para que os espermatozoides possam ser depositados nela. A fecundação no gênero Gambusia ocorre dentro do corpo da fêmea a ela dá à luz a filhotes vivos.

Por mais estranho que pareça, tais ganchos não são desconhecidos. Em outra espécie nova – a Phallostethus cuulong – que foi recentemente descoberto em partes do Vietnã, os machos possuem o pênis na cabeça, com um gancho irregular para segurar a fêmea durante o acasalamento. Os pesquisadores que descreveram que o peixe em uma edição de julho da revista Zootaxa disseram que a ligação com o companheiro provavelmente ajuda a garantir o sucesso da fertilização.

Langerhans descreveu também outra característica estranha no Peixe Mosquito de Llanos. As fêmeas têm um ponto colorido em seu ânus que parece indicar a localização do poro genital da fêmea, status reprodutivo e espécies. Este último poderia reduzir cruzamento, segundo o pesquisador.

“Então, pode ser que o Gambusia quadruncus evoluiu diferentes pontos anal para ajudar a reduzir os acasalamentos entre espécies e a possível formação de híbridos”, concluiu o pesquisador.

via tecnologia – Google Notícias http://news.google.com/news/url?sa=t&fd=R&usg=AFQjCNE8nV4VOcKHlXVGyxEg_7n8Q4czHA&url=http://www.jb.com.br/ciencia-e-tecnologia/noticias/2012/09/29/pesquisadores-descobrem-peixe-raro-que-possui-penis-com-ganchos/

Deixe um comentário

Arquivado em internetpinkblog

Venezuela lança seu segundo satélite em cooperação com a China – R7 – internet pink blog

Publicidade

O satélite de observação “Francisco de Miranda”, o segundo que a Venezuela desenvolveu em cooperação com a China, foi lançado neste sábado com sucesso no centro espacial de Jiuquan, localizado no deserto de Gobi, na província chinesa de Gansu.

“O lançamento foi um absoluto sucsso , informou Manuel Fernández, vice-ministro das Telecomunicações do ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação.

O lançamento de satélite, que aconteceu a nove dias das eleições presidenciais da Venezuela, foi apresentado como mais um passo para a soberania e independência tecnológica do país.

O programa do satélite Miranda faz parte do acordo de cooperação espacial China-Venezuela.

O primeiro projeto, o satélite Simón Bolívar, lançado em 2008, representou um investimento de 406 milhões de dólares, que incluiu o custo da construção da Base Aeroespacial Manuel Ríos Bamari.

O segundo projeto consiste na construção, desenvolvimento e montagem da primeira fábrica venezuelana de satélites pequenos de Borburata (estado de Carabobo), que será inaugurada em 2013.

O satélite Miranda – denominado formalmente VRSS-1, por suas sigla em inglês Venezuela Remote Sensing Satellite – teve um custo de 140 milhões de dólares.

O “Francisco de Miranda” – nome de um dos herois da independência venezuelana – conta com quatro câmeras e tem capacidade de tirar até 350 imagens por dia, que permitirão uma visualização da superfície terrestre a até uma distância de 2,5 metros.

As imagens serão usadas para a detecção de áreas petroleiras, a monitorização da biodiversidade e de recursos naturais disponíveis, além do planejamento urbano e agrícola e determinação de área afetadas por desastres naturais.

ntt.zm/ltl/cn

via tecnologia – Google Notícias http://news.google.com/news/url?sa=t&fd=R&usg=AFQjCNEDd5ByEWnYojDF93wutbg2A0e-fA&url=http://noticias.r7.com/tecnologia-e-ciencia/noticias/venezuela-lanca-seu-segundo-satelite-em-cooperacao-com-a-china-20120929.html

Deixe um comentário

Arquivado em internetpinkblog

Famosos lamentam na internet a morte de Hebe – SRZD – internet pink blog

No Twitter, a morte de Hebe Carmargo ganhou repercussão com rapidez. Famosos usaram a microblog para lamentar o falecimento da apresentadora.

“É a maior de todas, o primeiro rosto a aparecer na televisão. A Hebe tinha um carinho genuino pelos entrevistados, colegas”, escreveu o ator e diretor Miguel Falabella. “O Brasil inteiro perde uma amiga”, completou.

Outras apresentadoras, como Adriana Galisteu, também desabafaram na rede social. “Não estou conseguindo pensar direito. Atordoada, arrasada, muito triste. Sem palavras. #Luto a melhor, minha inspiração, minha amiga querida, meu amor. Hebe para sempre! Para sempre vou te amar”, disse ela.

“Os amigos do Sorriso da Tv brasileira, Hebe, choram a Estrela que se vai. Saudade. De Portugal onde vim trabalhar, estou dolorida na alma”, declarou Ana Maria Braga.

O humorista Rodrigo Scarpa, do “Pânico da Band”, de quem Hebe muitas vezes foi alvo de brincadeiras, também lamentou. “Muito triste com a morte da Hebe. Comecei a dar selinho nas famosas inspirado nela. Grande ícone da TV”, escreveu.

via internet – Google Notícias http://news.google.com/news/url?sa=t&fd=R&usg=AFQjCNFjJ3XeeGmhAhXLIwjXoQoptSl2Ig&url=http://www.sidneyrezende.com/noticia/187567%2Bfamosos%2Blamentam%2Bna%2Binternet%2Ba%2Bmorte%2Bde%2Bhebe

Deixe um comentário

Arquivado em internetpinkblog

Inter planeja maior eleição da história e diminui custos com internet – Terra Brasil – internet pink blog

Um colégio eleitoral superior a 96% dos municípios gaúchos. É isso que poderá ocorrer no pleito que o Internacional realizará neste ano, em dezembro, para definir o próximo presidente, bem como a renovação de 50% de conselheiros. Será a maior eleição de um clube de futebol em todos os tempos. Estarão aptos a votar mais de 75 mil eleitores, número quase 40% superior ao da última eleição colorada, em 2010. A tendência é que três candidatos concorram: Giovanni Luigi, um escolhido pelo movimento Convergência Colorado e mais um da oposição criada após o racha entre os grupos políticos.

Apenas 18 cidades gaúchas contam com mais eleitores. Grandes localidades como Erechim, Guaíba, Santana do Livramento e Cachoeira do Sul têm colégios eleitorais inferiores ao colorado.

E a principal novidade para este pleito será a possibilidade de votação pela internet, garantindo uma participação mais ampla dos sócios, com menores custos e com maior velocidade de apuração. Trata-se de uma iniciativa absolutamente inovadora, objetivando a maior participação do sócio no processo democrático. A maioria absoluta dos sócios (93%) terá, então, duas possibilidades de votação: pelas urnas eletrônicas no Gigantinho ou pela internet.

Apenas quem não tem e-mail cadastrado pelo clube no universo apto a votar não poderá usar a rede mundial de computadores. A votação pela internet será possível graças à estratégia de relacionamento permanente com o sócio. Todo o processo de votação pela internet será fiscalizado e conduzido pela Companhia de Processamento de Dados do Rio Grande do Sul.

O Inter irá contatar com os sócios por e-mail e telefone para atualização cadastral. É fundamental que o associado faça a atualização dos seus dados como endereço de email, CPF e RG, entrando em contato com a Central de Atendimento ao Sócio (CAS). Haverá uma campanha de informação da importância destes dados da votação via internet.

Na primeira quinzena de novembro, será disponibilizada a transação para opção de voto pela internet. A opção vai utilizar a mesma senha atual que serve, entre outras ações, para fazer o check in antecipado nos jogos, portanto é uma senha bastante conhecida e utilizada pelos sócios. Uma vez feita a opção pela internet, isso impede a votação na urna eletrônica.

Calcula-se que o custo com a eleição de 2012 será quase 50% inferior à de 2010 graças à opção pela internet. Além disso, a apuração será instantânea, tão logo se encerre o horário de votação. É o maior quadro social das Américas apto mais uma vez a dar novo show de democracia.

via internet – Google Notícias http://news.google.com/news/url?sa=t&fd=R&usg=AFQjCNEYQ8rEwawDSsYOSKl4NJ21yyZp5A&url=http://esportes.terra.com.br/internacional/noticias/0,,OI6189794-EI19378,00-Inter%2Bplaneja%2Bmaior%2Beleicao%2Bda%2Bhistoria%2Be%2Bdiminui%2Bcustos%2Bcom%2Binternet.html

Deixe um comentário

Arquivado em internetpinkblog

Sem barreiras para o conhecimento, vídeo-aulas se multiplicam na … – Último Segundo – iG – internet pink blog

Diante da enorme capacidade da internet de quebrar barreiras para o conhecimento e revolucionar a educação, professores e universitários de diferentes partes do mundo têm apostado em mais uma ferramenta para ajudar no aprendizado de crianças e jovens. Sites com vídeo-aulas de alguns dos conteúdos mais espinhosos da educação básica têm se popularizado, inclusive, no Brasil.

Assista:
Em vídeo, professores do O kuadro ensinam logaritmos

Reprodução/Youtube

Grupo do site O kuadro já possui mais de 600 vídeos de disciplinas nas áreas de exatas, especialmente. Estudantes podem vê-los de graça na internet

Em 2004, um americano descendente de indianos, Salman Khan, criou os primeiros vídeos para ajudar uma sobrinha que tinha dificuldades em matemática. Em uma lousa, sem que ele aparecesse, todos os problemas eram resolvidos. Logo as “aulas grátis” se espalharam. O conceito – apesar da distância do professor – faz com que as dicas se pareçam com uma “aula particular”, com a vantagem de poder ser vista a qualquer hora ou local. E, melhor, de graça.

Não demorou para que professores e estudantes brasileiros se inspirassem no modelo da Khan Academy
e criassem experiências com a cara do Brasil. Bruno e Lucimara Wernerck, que estudaram em escolas públicas, conseguiram vagas em boas universidades públicas, queriam que outros jovens tivessem a mesma oportunidade. Como conheciam as falhas da educação básica, se dispuseram a ajudar outros estudantes a superá-las. Como eles.

Popularidade:  Vídeos com aulas de americano são vistos 200 mil vezes em português

O ideal fez com que eles começassem a produzir vídeos, com aulas sobre conteúdos do ensino médio nas áreas de matemática, física, química e biologia. Assim como Salman Khan, os professores não aparecem no vídeo, apenas as resoluções e explicações dos exercícios. Desde abril deste ano, Bruno e Lucimara, que ganharam o apoio de George Hirokawa, que desenvolveu a plataforma do site, chamado O kuadro e os colocaram à disposição dos alunos.

Arquivo pessoal

Bruno, um dos idealizadores do kuadro, estudou em escolas públicas e chegou ao ITA: sonho de estimular outros jovens

Há mais de 600 vídeos disponíveis nas quatro áreas, todos produzidos por Bruno e Lucimara. De vez em quando, um professor de português que se encantou com o projeto também colabora enviando algum material. É possível assisti-los no site oficial
, no youtube ou no vimeo. Mais de 7 mil professores e alunos de todo o País já se cadastraram para baixar os vídeos, todos gratuitos.

Bruno, Lucimara e George não vivem do site. Bruno é engenheiro em eletrônica formado pelo Instituto Tecnológico da Aeronáutica (ITA) e trabalha no setor de telecomunicações. Lucimara formou-se em Biologia (licenciatura) pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) e atua em uma indústria de produtos ortopédicos. George, formado em comunicação social, desistiu do emprego em uma empresa de telecomunicações para se tornar professor universitário depois de se envolver com a experiência do kuadro.

Os três tiram recursos do próprio bolso para manter a produção, que pelo caráter caseiro, não é tão custosa. Mas hoje eles já procuram parcerias para expandir a iniciativa. Além de acharem necessário expandir as áreas de atuação, eles querem colocar em prática um novo projeto, já apelidado de Embaixadores da Educação. O objetivo é conseguir apoio para oferecer bolsas de estudos a universitários que também tenham vindo de escolas públicas, para que eles ajudem outros alunos como eles.

“Hoje tenho certeza de que estou ajudando as pessoas. Queremos contribuir com o que falta no governo, no ensino básico brasileiro, especialmente com quem não tem condições de disputar o vestibular nas mesmas condições que os mais favorecidos economicamente. Há muitas pessoas que querem estudar e só precisam de uma oportunidade”, comenta George. Segundo ele, apesar de o professor não estar online, as aulas em vídeo tornam o conteúdo mais atrativo e o conceito se aproxima de uma aula particular. “Eles aprendem mais”, diz.

Idealismo X negócio

Há modelos também que tentam unir o idealismo de quem acredita em poder mudar a educação com a vontade de torná-lo, ao mesmo tempo, um negócio, que possa render recursos para montar uma organização não-governamental. Claudia Massei, co-fundadora do site QMágico, conta que essa é a ideia do projeto, que hoje também já conta com mais 600 vídeos e 2 mil exercícios de matemática disponíveis. Mas nem sempre foi assim.

Quando criaram o site, também baseado no modelo Khan Academy, Thiago Feijão, outro sócio-fundador e mais três amigos que participavam do projeto, todos estudantes do ITA, tinham a expectativa de vender, a preços bem baratos, a visita a cada vídeo. Como uma aula particular mesmo. Porém, logo de início, perceberam que a proposta não funcionaria. “Mesmo que a gente cobrasse pouco, isso não faria o conteúdo chegar a todo mundo”, diz Claudia.

Portanto, os jovens criadores do QMágico
decidiram criar duas plataformas diferentes. Uma é gratuita, possui todas as vídeo-aulas, exercícios interativos e um software simplificado que mostra ao aluno o desempenho dele nas questões, acertos e erros, apresenta quais vídeos devem ser assistidos para sanar as dúvidas do que ele errou. Ainda há jogos educativos disponíveis, em que ele vai sendo pontuado a cada exercício feito.

Arquivo pessoal

Thiago Feijão e Claudia Massei são fundadores do QMágico, que ganhou prêmio da Startup World Brazil

A outra plataforma é paga. Escolas públicas e privadas já utilizam o sistema do QMágico, que une o conteúdo à necessidade de acompanhamento de uma escola. Os professores podem acompanhar – online ou não – o desempenho de seus alunos nas questões (produzidas pela própria escola ou pelos criadores do site); podem disponibilizar vídeos e outros materiais. “Começamos a tentar entender o que as escolas estavam precisando. E percebemos que era a gestão do aprendizado”, conta a co-fundadora.

Outros grupos:  Jovens prodígios prometem ferramenta revolucionária para Educação

Os clientes do site pagam entre R$ 3 e R$10 por aluno a cada mês, dependendo do volume de estudantes atendidos em cada contrato. A rede de ensino estadual de Goiás, o maior cliente, utiliza a plataforma em mais de 400 escolas, atendendo a 9 mil alunos. Eles desenvolveram um programa específico para o Enem
para eles. Há também parcerias com escolas públicas na Grande São Paulo, com uma faculdade privada de Engenharia no Rio Grande do Sul (eles vão usar as ferramentas para preparar os alunos com dificuldades) e estão em negociação com o Colégio Bandeirantes, de São Paulo.

Espaço também em grandes instituições

A popularidade dos vídeos e do poder de alcance da internet fez com que até os mais céticos a respeito das vantagens da educação a distância se curvassem diante da aposta feita por instituições tradicionais e renomadas, como a Universidade de Harvard, nos Estados Unidos, a Sorbonne, na França, ou a Universidade de São Paulo, no Brasil. Além de já oferecerem cursos a distância, muitas delas têm desenvolvido projetos de vídeo-aulas gratuitas.

Curiosidade:  Veja o que já foi inovação nas salas de aula

A USP lançou a pouco tempo o e-Aulas. Os professores disponibilizam aulas gravadas em vídeo a quem estiver interessado. Assim como faz Harvard, MIT, Princeton. A FGV Online também montou um projeto em que oferece 41 cursos gratuitos nas áreas de atuação da fundação, como Administração, Economia e Direito. Justo disso, a instituição lançou um grande portal
para o ensino médio, com aulas e questões gratuitas voltadas para o Enem.

Confira mais vídeos das equipes do kuadro e do QMágico:

via internet – Google Notícias http://news.google.com/news/url?sa=t&fd=R&usg=AFQjCNGxx01XgFHZ0V8nVRN-EseXkdsMdA&url=http://ultimosegundo.ig.com.br/educacao/2012-09-29/sem-barreiras-para-o-conhecimento-video-aulas-se-multiplicam-na-internet.html

Deixe um comentário

Arquivado em internetpinkblog

Tecnologia a serviço da pilotagem segura – MOTO.com.br – internet pink blog

Arthur Caldeira

Acho exagero a afirmação de que as motocicletas foram feitas para cair. Mas um simples fato da vida em duas rodas é que: as motos “querem” cair. Afinal, têm duas rodas e não fiquem “em pé” sozinhas. Seja por causa de uma curva escorregadia, pela distração do motociclista ou sua inexperiência. Um agradável passeio de fim de semana pode ser interrompido por uma derrapagem inesperada com sérias conseqüências para a sua saúde e para seu bolso. 

Mas assim como a tecnologia avança para o progresso da sociedade, também evolui para tornar a pilotagem cada dia mais segura. Novos sistemas eletrônicos têm sido incorporados às motos para evitar quedas e diminuir o número de acidentes. Claro que existe um preço a ser pago, mas nesse caso não se trata de gasto, mas sim investimento na sua segurança. 

Evolução

Nenhuma tecnologia pode lhe proteger de você mesmo, principalmente se você, motociclista, ignorar o perigo de um acidente ou as leis da física. Entretanto, novos sistemas eletrônicos apareceram nos últimos anos para oferecer certa segurança para o piloto.

A primeira forma utilizada para domar a potência das motos grandes foram os modos de pilotagem. Restringindo a potência do motor ou simplesmente alterando a forma como essa potência era entregue à roda traseira, os modos de pilotagem surgiram primeiramente nas motocicletas superesportivas, como na Suzuki GSX-R 1000 2006. Uma moderna central eletrônica ajustava o funcionamento do motor com um simples clique. Por meio de um botão no punho, podia-se escolher entre três modos de pilotagem que iam do “A”, potência total, passando pelo “B”, que oferecia uma curva de potência mais suave, até o “C”, que restringia a potência máxima a 60% do original. 

Com a modernização dos sistemas e também da tal ECU, a Unidade de Controle Eletrônico, com a adoção de aceleradores ride-by-wire, o seletor de modo de pilotagem passou a ser adotado por outros fabricantes e também a utilizá-lo em outros segmentos de motocicletas, como as big-trails Yamaha XT 1200Z Super Ténéré, a Kawasaki Versys 1000, entre outros. E juntamente com a evolução das ECU veio uma das mais modernas formas de se evitar a derrapagem da roda traseira: o controle de tração.  

Bendita eletrônica

Uma das grandes dificuldades em se domar uma motocicleta potente está exatamente na dosagem do acelerador. Basta a combinação de uma pista mais escorregadia ou mesmo um pneu frio demais com um giro mais empolgado no acelerador para que aconteça a tal “saída de traseira”. O fenômeno acontece quando a força do motor transmitida à roda traseira supera a aderência do pneu, principalmente em uma curva, mas não somente. A moto pode sair “debaixo” do motociclista também quando se acelera demais em um piso escorregadio, com areia, por exemplo.

Nessas situações há três opções. A primeira é continuar acelerando até que a roda desgarre por completo e a moto saia debaixo de você ralando toda no chão. A segunda também não é das melhores: você pode tirar a mão do acelerador para o pneu retomar novamente a aderência e com essa força a moto vai catapultá-lo para cima. Ou você está entre o 1% dos motociclistas, como Casey Stoner e Valentino Rossi, pilotos da MotoGP, que lidam naturalmente com isso e tem o dom de dosar o acelerador para controlar a derrapagem da roda traseira. Mas se este não é o seu caso, saiba que você precisa de um controle de tração.

O primeiro controle de tração em motos de série apareceu em 2005 na BMW R 1200R, mas tinha como principal objetivo controlar a derrapagem em terrenos escorregadios. Ainda não era focado no desempenho em curvas, por exemplo. Utilizava-se dos sensores dos freios ABS, instalados nas rodas, para detectar uma diferença muito grande de velocidade entre a roda traseira e dianteira. 

Imagine que você acelerasse em uma rua com areia, por exemplo: o primeiro sinal de que você havia exagerado na dose seria a roda traseira girar mais rápido do que a dianteira. O Automatic Stability Control (ASC), controle automático de estabilidade, da BMW visava corrigir principalmente esses erros. 

Foi também a marca alemã a primeira a instalar um verdadeiro controle de tração em uma motocicleta de série, a superesportiva S 1000RR em 2009. Até hoje, um dos mais modernos controles de tração (TCS, Traction Control System) para motos, o sistema da BMW conta com outros sensores, além dos instalados na roda. Bastante complexo, traz um acelerômetro que mede a aceleração longitudinal e lateral, além do ângulo de inclinação e o desvio da moto em seu próprio eixo. Permite escolher os níveis de intervenção do sistema – mais atuante para os iniciantes e menos para pilotos mais experientes – e trabalha em conjunto com o modo de pilotagem e os freios ABS.

Com os claros benefícios em termos de segurança para o motociclista comum, a Kawasaki lançou a ZX-10R em 2010 com controle de tração, depois vieram as outras fábricas. Atualmente, pelo menos seis marcas oferecem controle de tração em suas motos superesportivas e também em outros modelos – Aprilia, BMW, Ducati, Kawasaki, MV Agusta e Yamaha. Uns mais modernos outros menos, mas todos com o objetivo de tornar a pilotagem mais segura.

Parar é preciso

A tecnologia das motocicletas ajuda a controlar a aceleração, auxilia a contornar curvas com rapidez e segurança, mas também contribuí e evoluiu para oferecer mais segurança também na hora de parar a moto. Completando a tríade de tecnologia a serviço da pilotagem segura estão os freios ABS.

Instalado nas motos desde 1988 e aqui mais um ponto para a BMW, a primeira a instalar freios com sistema antibloqueio (ABS) no modelo K 100, os freios ABS equipam até motos de 300cc, como as Honda CB300R e XRE 300 e a recém-lançada Kawasaki Ninja 300. 

O objetivo dos freios ABS, tanto nas motos como nos carros, é exatamente este: frear com mais segurança e controle do veículo – sem travar as rodas. O sistema ABS atua nos freios da moto, impedindo que a(s) roda(s) trave(m). Há pequenos discos (semelhantes ao disco de freio, porém cheios de ranhuras) instalados no cubo das rodas que atuam com os sensores do ABS e realizam a “leitura” da velocidade das rodas durante a frenagem. Quando a roda está prestes a travar, os sensores enviam um sinal para a central do ABS e a mesma envia um sinal para “aliviar” a pressão aplicada no freio. “O sistema ABS colabora para manter o comportamento equilibrado da motocicleta em frenagens em diferentes pisos e, consequentemente, oferece maior segurança ao motociclista”, explicou Alfredo Guedes Jr, engenheiro da Honda.  

Hoje, existem até mesmo sistemas ABS voltados para o uso mais esportivo, em pistas de corrida, como na Honda CBR 1000RR e 600RR. Trata-se de um sistema de freio controlado eletronicamente por um motor de pulso – o sistema é opcional nos modelos esportivos da Honda desde 2008. A BMW S 1000RR e a Kawasaki ZX-10R também trazem freios ABS mais racing.

Fotos:Agência Infomoto/Divulgação

 

via tecnologia – Google Notícias http://news.google.com/news/url?sa=t&fd=R&usg=AFQjCNF-zlJv1U-3UuP49JAzbVZcOAUeeA&url=http://www.moto.com.br/acontece/conteudo/_tecnologia_a_servico_da_pilotagem_segura-57672.html

Deixe um comentário

Arquivado em internetpinkblog